O frio intenso na madrugada de terça para quarta-feira matou um homem na Praça Tiradentes no Centro de Curitiba. De acordo com um post do prefeito Rafael Greca publicado no Facebook, a vítima teria recusado o atendimento das equipes da Fundação de Ação Social (FAS), “por estar fortemente drogado e alcoolizado”.
O homem identificado como Adilson José Juk, 41 anos, que já era atendido pela FAS desde 2003, foi encontrado morto pelos colegas, que dormiam no mesmo local.
A administração municipal informou que um laudo do Instituto Médico-Legal (IML) confirmará ou não se hipotermia foi o que causou a morte, registrada na Praça Tiradentes na terça (18).
A Prefeitura recebeu 195 pedidos de atendimento a pessoas em situação de rua, das 19 horas de terça-feira (18) às 7 horas desta quarta-feira (19), quando Curitiba registrou a temperatura mais baixa do ano. Os atendimentos foram feitos com base às solicitações à Central 156.
Este número deve aumentar ainda mais, já que equipes percorreram as regionais fazendo a busca ativa de pessoas que estavam nas ruas.
Para a ação emergencial, realizada sempre que a temperatura chega a 7 graus, a Fundação de Ação Social (FAS) contou com 11 equipes de abordagem social, com 33 assistentes e educadores sociais e apoio técnico. Houve um reforço de duas equipes às 24 horas, em função da demanda.
Nesta noite, 58 pessoas recusaram encaminhamento aos abrigos e permaneceram no local e 57 aceitaram acolhimento da FAS. Além disso, 68 pessoas não estavam no local apontado pelo cidadão que ligou ao 156.
Às 4 horas, 95% das 900 vagas oferecidas para pernoite já estavam ocupadas.