A peça O Olhar de Neuza, vencedora do prêmio paranaense “Troféu Gralha Azul” (2013) nas categorias de melhor espetáculo, melhor atriz, direção e texto, será encenada em cinco cidades paranaenses: Lapa, Castro, Paranavaí, Pato Branco e Francisco Beltrão.
A turnê, que terá início em agosto, é uma iniciativa da Tecer Teatro, de Curitiba e foi viabilizada com incentivo da Copel e da Havan por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria Estadual de Cultura do Paraná.
Lapa será a primeira cidade do circuito. As apresentações serão nos dias 18/08 (apresentações fechadas às 9h e às 14h) e 19/08 (apresentação aberta às 20h), no Theatro São João. Endereço: Praça General Carneiro, s/nº – Centro. ENTRADA GRATUITA.
Inspirada no livro A Mulher Que Cai, do escritor curitibano Guido Viaro (neto do pintor), a peça narra a história de uma mulher de meia-idade que atravessa, em crise, a fase da menopausa. A professora aposentada vivida pela atriz Fabiana Ferreira ao refletir sobre sua existência e suas angústias expõe os conflitos psicológicos, sociais e físicos do universo da mulher madura.
“A peça não aborda apenas a menopausa. Menopausa é mero detalhe para uma mulher que chega a maturidade e coloca em questão sua própria vida e suas dores. O questionamento principal de Neuza está muito além dos calorões sentidos pelo seu corpo, está em viver e questionar”, explica Fabiana.
O espetáculo trata de apenas um dia na vida de Neuza, que poderia ser igual a tantos outros, não fosse sua disposição de torná-lo uma nova etapa.
“A juventude é a moeda de troca da mulher. Na menopausa, a mulher perde o valor social e o valor humano. É o momento em que precisa vestir a fantasia de ‘titia’ ou ‘vovó’, um papel assexuado e se contentar com as sobras sociais”, comenta Viaro.
O Olhar de Neuza expõe uma ferida social: que sentido a mulher tem para a sociedade depois do ápice da maturidade?
Desde a sua estreia em 2013, O Olhar de Neuza, realizou mais de 50 apresentações em Curitiba e em outras cidades brasileiras.
“O tema é profundo, existencialista, mas a comunicação com o público é fácil. Trata-se de um espetáculo de gênero, mas o tema, na verdade, é universal uma vez que expõe os conflitos de quem chega à meia idade e fatalmente revê sua vida, provocando no espectador, ora uma identificação, um espelhamento, ora a reflexão da importância das escolhas que fazemos durante nossa trajetória”, comenta a atriz.
Após cada apresentação, haverá um bate papo sobre o trabalho e o conteúdo abordado na peça. O projeto prevê também a realização de encontros com grupos teatrais de cada cidade para troca de experiências entre os profissionais da área e ainda oficinas voltadas para atores profissionais e amadores.
Todas as ações do projeto serão gratuitas.
TECER TEATRO
O teatro manifestado por forte fisicalidade tem sido característica do trabalho da Tecer Teatro que iniciou suas atividades em 2004 com o objetivo de fomentar, focar, aprofundar e ampliar a investigação cênica do teatro e da dança, bem como da linguagem audiovisual. Tais áreas culturais fazem parte dos vinte e sete anos de carreira de sua fundadora, Fabiana Ferreira, também sócia fundadora da Cia do Abração, empresa parceira por dez anos. A Tecer tem como foco proporcionar um espaço de aprofundamento de dramaturgias para realizar produções artísticas de experiências inovadoras, com temas que versem pelos interesses contemporâneos, de forma a contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade da qual faz parte. Os trabalhos desenvolvidos buscam compartilhar a fusão de linguagens, agregando artistas de diferentes áreas.
Ficha Técnica da peça O Olhar de Neuza: Direção: Cristine Conde e Fabiana Ferreira; Texto: Criação Colaborativa; Elenco: Fabiana Ferreira; Coreografia: Wal Mayans; Iluminação: Anry Aider; Cenografia: Criação Colaborativa; Figurinos: Cristine Conde; Composição Musical: Tiago Constante; Cantora: Mariá Sallum, Cenotécnico e Operador de Luz: Frank Sousa; Operador Som: Paulo de Tarso ou Tiago Constante.

Anúncios